BNB: negociação debate novo plano de funções das agências

40

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB) esteve reunida na última sexta-feira, dia 29/10, com a direção do Banco, para debater o novo plano de funções das agências, anunciado recentemente pela Instituição. A reunião aconteceu em formato híbrido, com alguns representantes dos funcionários presentes à sede administrativa do Passaré e outros participando virtualmente.

No início, o Banco fez uma explanação sobre o novo plano de funções. De acordo com a Instituição, 35% dos funcionários terão aumento de remuneração. O Banco acrescentou ainda que nenhum funcionário terá redução salarial e haverá um prazo de 120 dias para adequação do quadro funcional.

O diretor de Administração, Haroldo Maia Jr., enfatizou que o plano estava em discussão desde 2016, sendo aprovado em 2018, e que não havia sido implementado ainda por uma questão operacional. O Banco enfatizou ainda que a hora trabalhada foi majorada e que não há possibilidade de permanecer vinculado ao plano antigo.

A CNFBNB, entretanto, fez alguns questionamentos. Logo após a apresentação do Banco, a representação dos funcionários quis saber sobre a situação daqueles que não teriam aumento de remuneração. O Banco afirmou que esses não terão prejuízos, mas a Comissão destacou que algumas funções de oito horas estão sendo reduzidas para seis horas e que isso acarretará perda de remuneração. O Banco justificou que esses funcionários terão jornada reduzida.

A Comissão questionou ainda sobre o asseguramento de função para quem tiver redução de remuneração. O Banco informou que esses funcionários terão asseguramento por 24 meses ou prazo para migrar para uma função de maior valor.

Nova reunião de negociação com o Banco deve acontecer até o final da primeira quinzena de novembro.


“Embora o debate tenha sido sobre plano de funções para as agências, questionamos o Banco sobre a trava que existe na Direção Geral para concorrência de funções entre diretorias. O Banco assegurou que em breve essa trava deixará de existir, dependendo tão somente do fim do processo de atualização das estruturas organizacionais da Dirge, que está em fase avançada”.
Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE e coordenador da CNFBNB


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here