Início Notícias Caixa Econômica Caixa apresenta proposta insuficiente sobre redução da jornada de empregados com dependentes...

Caixa apresenta proposta insuficiente sobre redução da jornada de empregados com dependentes PcDs

39

Em negociação que aconteceu nesta quinta-feira (16/5), a Caixa Econômica Federal apresentou uma nova proposta para atender reivindicação dos trabalhadores sobre redução da jornada de trabalho das empregadas e empregados que são cuidadores de pessoas com deficiência (PcDs), que foi considerada insuficiente pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa).

“Esse é uma demanda muito importante para um grupo de trabalhadores, que nós estamos debatendo há algum tempo. O banco trouxe proposta que engloba todos os empregados e não o segmento específico.  Além disso, têm aspectos que precisam ser esclarecidos e nós solicitamos mais detalhes ao banco e reafirmamos a necessidade de que o retorno a demandas como essa sejam mais ágeis”, reforçou Rafael de Castro, coordenador da CEE/Caixa e diretor da Fenae.

Respostas mais rápidas às reivindicações dos trabalhadores foi um dos pontos colocados durante a negociação. Os membros da CEE pontuaram vários pleitos que foram apresentados em outras reuniões ou por meio de ofício e que não obtiveram resposta da Caixa.

“Precisamos ter um calendário de negociações para dar atendimento às demandas que apresentamos e não nos foram dadas respostas, como os temas relacionadas à Funcef, volta das designações das funções de caixa e tesoureiros, reestruturação, dentre outros”, destaca a representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) na CEE, Eliana Brasil.

Para o representante da Fetrafi/SC, Edson Heemann, é preciso valorizar a importância da CEE/Caixa na interlocução dos empregados com a empresa. “Estamos aqui para buscar solucionar problemas relativos às condições de trabalho. As entidades são diariamente acionadas pelos colegas para tratar das demandas que não vem sendo solucionadas”.

A morosidade do banco também foi criticada pelo representante da Feeb-SP/MS, Tesifon Quevedo Neto. “Nossa expectativa é que na próxima reunião o banco apresente propostas para as diversas demandas já apresentadas e ainda pendentes”, reforçou.

Rio Grande do Sul

A CEE/Caixa também cobrou mais agilidade nas solicitações dos trabalhadores afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul. A representante do estado na comissão relatou que empregados estão tendo dificuldades em questões como hotelaria (para quem ficou desabrigado) e o adiantamento emergencial em casos de calamidade.

“Recebemos relatos de que alguns colegas não estão conseguindo o adiantamento por conta da margem consignável ou tendo negado pedidos para estender a hotelaria”, relatou Sabrina Muniz.

Os representantes da Caixa anunciaram, na reunião, que nesta sexta (17/5) será publicada norma dispensando a margem consignável.

Os membros também reforçaram que problemas mais urgentes podem ser solucionados pelo banco, sem esperar que sejam levados para o comitê de crise nacional.

Gipes

Dentre os pontos pendentes na negociação com a Caixa está a recriação das Gerências de Filial Gestão de Pessoas (Gipes). Segundo o banco, já foi iniciado o processo de implantação de 08 Gipes e 20 Representações nos Estados (Repes) e que esse trabalho deve ser concluído até 30 de junho e elas entrem em operação na sequência, a partir de julho deste ano.

“As Gipes são essenciais para agilizar as soluções para os problemas locais enfrentados pelos trabalhadores. Enquanto elas e as Repes não são recriadas, precisamos buscar soluções mais ágeis para as demandas das empregadas e empregados”, reforçou Rafael de Castro.

A CEE/Caixa cobrou um calendário de negociações com os bancos para tratar de todos as reivindicações pendentes. A Caixa se comprometeu atender a demanda da comissão e uma nova negociação já deve ocorrer na próxima semana.

Fonte: Contraf-CUT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here