Empregados comemoram os 162 anos da Caixa em Fortaleza

158

Nesta quinta-feira, dia 12 de janeiro, a Caixa Econômica Federal comemora 162 anos de fundação e de prestação de serviço ao povo brasileiro e precisamos comemorar. A chegada de um novo governo e a retomada da democracia trazem a esperança que o banco continuará 100% público e que irá resgatar seu papel social, como uma empresa forte, valorizando seus empregados e atuante no desenvolvimento e na reconstrução do país.

A Caixa foi fundada em 1861 como Caixa Econômica da Corte, como incentivo à poupança. Escravizados viram no banco a oportunidade de poupar e enfim conseguir a alforria. É por isso, que desde o nascimento, as questões sociais são a cara da Caixa.

Ao longo dos seus 162 anos, a Caixa tem se mostrado essencial pelo seu papel estratégico e social na área de habitação, crédito imobiliário, saneamento, educação, saúde, agricultura e sustentabilidade.

Entretanto, nos últimos anos, o papel social da Caixa foi desvirtuado. O estrago não foi maior graças a atuação das entidades representativas e dos empregados que lutaram sem descanso para manter o banco 100% público.

Durante a pandemia, a contribuição da Caixa foi fundamental. A dedicação dos empregados da Caixa fez o auxílio emergencial chegar às mãos de quem mais precisava. Mesmo sobrecarregados, eles foram imprescindíveis para manter a instituição de pé.

Em 2022, a Caixa sofreu um dos piores episódios de sua história. Empregadas do banco denunciaram o então presidente Pedro Guimarães por assédio sexual.  Durante o período eleitoral, a Caixa foi usada nitidamente como palanque sem constrangimento. Mas agora é o momento de retomar a papel essencial dos empregados para o país. A Caixa social será mais forte com o reconhecimento dos direitos dos trabalhadores.

 

Frente a tantos ataques, a Caixa sobrevive. Temos bons motivos para ver um grande futuro para o banco público. O governo Lula indicou para a presidência da estatal uma representante dos trabalhadores. Rita Serrano acompanhou de perto, como conselheira de Administração, a tentativa de desmonte da Caixa e como seu principal ativo, os trabalhadores, foi levado à exaustão.

Na luta pela reconstrução do Brasil, a Caixa Econômica Federal terá um papel fundamental como agente principal das políticas públicas do Governo Federal, além de ser imprescindível para o desenvolvimento econômico e social de todas as regiões do Brasil.

Seguimos unidos, lutando e conquistando, cada vez mais, uma vida digna para todos os empregados, sem deixar de lado a nossa luta por um mundo melhor, mais justo e solidário.

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here