Reunião do GT Saúde Caixa debate premissas para o plano

62

As premissas atuariais foram o tema da terceira reunião do Grupo de Trabalho (GT) Saúde Caixa. O encontro aconteceu nesta quinta-feira (28), por videoconferência, e iniciou os estudos para a construção de uma proposta de custeio para o plano. Os representantes dos empregados no GT reforçaram mais uma vez a necessidade de transparência nas informações do plano que serão apresentadas. As reuniões têm acontecido semanalmente, às quintas-feiras.

“Temos reforçado esse pedido em toda reunião. A transparência nos dados é fundamental para que a gente possa, de forma colaborativa, construir uma alternativa de custeio que mantenha o nosso plano sustentável e acessível para todos os empregados e os aposentados”, afirmou a coordenadora do GT e da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Fabiana Uehara Proscholdt, que também é secretária de Cultura da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Membro das duas primeiras gestões do Conselho de Usuários e agora membro do GT, o diretor de Relações Sindicais da Apcef/RJ, Sergio Amorim, lembrou que a cobrança pelos dados é antiga. “Desde aquela época, nós do Conselho cobramos o acesso aos dados e não foi diferente quando fui atuar no GT Saúde Caixa. A transparência dos dados é fundamental para cumprirmos o nosso papel, mas nunca conseguimos essa informação de forma consistente”, ressaltou Amorim.

O representante dos empregados do GT Saúde Caixa, membro da CEE/Caixa e presidente da Apcef/SP, Leonardo Quadros, explicou a importância do GT obter os dados precisos sobre o Saúde Caixa. “Para alcançar nosso objetivo de garantir um plano acessível e de qualidade para os empregados da ativa e aposentados é fundamental nos debruçarmos sobre os dados do plano para identificar principais gargalos dos seus custeios e buscar as melhores soluções.”

Outro ponto que está em debate no GT é a preparação de um termo de confidencialidade. O documento deverá ser assinado por todos os participantes do grupo de trabalho.

Novos participantes

Durante a reunião, a Caixa informou que aproximadamente dois mil empregados já solicitaram a entrada no Saúde Caixa. A expectativa do banco é para que pouco mais de três mil empregados façam a adesão.

A reabertura do plano aconteceu no dia 8 de janeiro, após muitas reivindicações dos empregados, um dos principais pontos da Campanha Nacional de 2020.

O Grupo de Trabalho

O GT Saúde Caixa tem o objetivo de criar uma proposta para um novo formato de custeio e de gestão do plano de saúde até o dia 31 de julho de 2021. A proposta passará pelo crivo da mesa permanente de negociação e, posteriormente, dos beneficiários, antes de entrar em vigor a partir de 2 de janeiro de 2022.

Os integrantes indicados pelos representantes dos empregados são: Fabiana Uehara, Leonardo Quadros, Sergio Amorim, Alexandro Livramento, Lilian Minchin, Marilde Zarpellon e Márcia Krambeck.

Fonte: Contraf-CUT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here