Sindicato debate demandas dos funcionários do BB com a direção no Estado do Ceará

86

O Sindicato dos Bancários do Ceará esteve reunido nesta quinta-feira, 2/2, através de plataforma virtual, com a direção do Banco do Brasil local para debater diversas pendências do funcionalismo, através de mais uma reunião do Fórum Sindical BB. Entre os temas debatidos estão: avaliação GDP, capacitação para o PSO, antecipação de metas, carteiras PJ (pólo desenvolvedor), obras físicas nas agências entre outros temas.

Quanto à GDP, o Sindicato recebeu alguns questionamentos sobre possíveis fraudes no processo avaliatório. Tanto o Sindicato quanto o BB entendem que é importante o processo da GDP. A gestão de desempenho é um elemento importante tanto para a qualificação, quanto para as carreiras dos funcionários. Entretanto, o que o Sindicato tomou conhecimento é que as avaliações estavam vindo prontas e os colegas estavam recebendo notas de órgãos hierárquicos superiores do banco. Exemplo: uma agência X, que pertencia a um pilar tal de negócios do banco, o gestor geral dessa agência X receberia uma orientação para fazer a avaliação negativa de tais funcionários (copiando e colando tais avaliações). A Superintendência ouviu os argumentos do Sindicato e também não ficou contente com esse tipo de processo.

O Sindicato destacou ainda que a GDP normatizada fala sobre qualificações e avaliações que cada gestor deve fazer da sua equipe. Assim, como a avaliação é em 360º, ele tem que se autoavaliar, avaliar a equipe e avaliar determinada pessoa que é escolhida no modelo da avaliação. Por sua vez, o banco informou que não concorda com o que chamou de “avaliação top-down (copia-cola)” e que a avaliação tem de ser bem utilizada para dar feedback para as pessoas sobre aquilo que deve ser feito como aperfeiçoamento nas carreiras via GDP. O Sindicato vai continuar acompanhando todo o processo para que não haja fraude nem desvio no modelo GDP e também para que não haja pressão sobre descomissionamentos fora da regra.

Capacitação PSO

Durante as visitas que o Sindicato realizou às agências, os caixas do PSO estão cobrando cursos de capacitação quanto a execução do DJO, um sistema interno do banco que opera causas judiciais, que sem treinamento específico, pode levar o funcionário a cometer erros que podem lhe gerar prejuízos. O Sindicato cobrou que esses treinamentos sejam retomados e que sejam incluídos no modelo presencial. O BB ficou de avaliar.

Antecipação das metas

Chegou ao conhecimento do Sindicato que alguns gestores tinham recebido em reuniões, virtuais ou presenciais, demanda sobre antecipar metas. O Sindicato ponderou que a meta já é tão difícil de ser alcançada e que antecipá-las seria muito sofrido para as equipes, pois o tema já causa um abalo muito grande, inclusive emocional. Os gestores do BB que participaram da reunião esclareceram que, na verdade, não se tratava de antecipação, mas de organização das metas, para que elas fossem divididas, por dia, entre as equipes, de forma que não onerasse nenhuma delas durante o mês.

Carteiras PJ

O banco esclareceu que é apenas a conversão do que era “pólo empreendedor” que está em determinadas agências para ter, efetivamente, uma carteira de pessoa jurídica vinculada àquela agência. Diante disso, existe a possibilidade de agregar novas funções nessas unidades, novos gerentes dessas carteiras, assim como um assistente vinculado a ela.

Obras em agências

Durante suas visitas, o Sindicato também verificou que existem duas importantes agências em Fortaleza que estão passando por obras: agência Montese (que vai receber a Comercial Montese) e Avenida Oliveira Paiva (que vai receber a Empresa Washington Soares). Cobramos o cronograma dessas obras para que os funcionários não sejam impactados com essas mudanças. O banco falou que vai se inteirar sobre o cronograma dessas obras, que não estão muito adiantadas, mas que são importantes, e que isso resultará numa redução de custos, já que os prédios que vão receber as novas agências são de propriedade do banco ou de aluguel mais barato.

O Sindicato também saudou a direção do Banco, e torce para uma nova política organizacional que valorize a Vice-Presidência Corporativa – VICOR (que tem entre suas diretorias a Gestão da Cultura e de Pessoas) e com isso tenhamos uma gestão de pessoas mais próxima dos funcionários do BB.

Valorização das GEPES espalhadas pelo Brasil

“Esse instrumento é muito importante não só para o encarreiramento, mas também para o acompanhamento das vidas funcionais. O Sindicato avalia também que deve haver um reforço no número de funcionários. Sabemos que temos um concurso em andamento para ocorrer em abril e avaliamos que novas contratações são fundamentais”, avaliou Carlos Eduardo, presidente do SEEB/CE.

É importante destacar também que a GEPES tem canais de contato e que os funcionários podem utilizar caso necessário: (61) 4003-5291 ou diretamente através do sistema interno do banco, pela Plataforma Pessoas – FALE COM A GEPES.

Participaram da reunião, pelo Sindicato, o presidente da entidade Carlos Eduardo, além dos diretores José Eduardo, Jannayna Lima, Valdir Maciel, Bosco Mota e Ricardo Dantas. Pelo banco, estiveram presentes o superintendente no Ceará, Allan Trancoso, o Regional Gepes Nordeste, Marcelo Barquet, Gepes Fortaleza, Pedro Manuel e o Gerev Fortaleza, Luiz Eduardo.

O Sindicato avalia que é importante manter esse canal de diálogo sempre aberto. “Sempre cobramos que as metas sejam o mais humanizadas possível, e vamos, efetivamente, cobrar do banco, quando tivermos a mesa de negociação sobre ‘Como as metas são feitas no Banco do Brasil’, para que elas sejam possíveis de serem atingidas por todos os funcionários, sem causar tantos adoecimentos, como temos verificado na categoria bancária”, avaliou o diretor do Sindicato, José Eduardo. “Queremos enfatizar que esse é um canal de diálogo entre o banco, de forma institucional, e o Sindicato e nós valorizamos esse mecanismo para debatermos as nossas demandas”, completa.

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here