Sindicato realiza plenária para debater reestruturação no BB

174

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou na noite desta segunda-feira, 18/1, uma plenária virtual com os funcionários do Banco do Brasil para debater o processo de reestruturação. Além da presença da diretoria do Sindicato, a plenária contou ainda com representantes do departamento jurídico, para tirar todas as dúvidas dos bancários presentes.

Os funcionários relataram que chegam a se sentir desestimulados com as notícias da reestruturação e lamentam a falta de valorização do banco como empresa pública. Outros falaram sobre as perdas financeiras e as incertezas com relação a temas como incorporação de função e a própria situação das unidades em que trabalham. Os bancários também se disseram decepcionados com o tratamento do banco, pois quando o banco precisa do funcionalismo, este está disponível para corresponder, mas quando o funcionário precisa do banco, este não o ampara. Para eles, a redução de quadros só leva a mais trabalho, mais pressão, mais stress.

Os dirigentes criticaram o desencontro de informações sobre a reestruturação por parte do banco e informaram que o Sindicato vem sendo municiado pelos próprios funcionários sobre o que está sendo implementado.

Já os advogados ressaltaram que a maioria da população brasileira não tem familiaridade para utilizar o formato digital e que as pessoas ainda são muito dependentes dos caixas, que irão, sim, fazer muita falta. O departamento jurídico esclareceu ainda que isso pode gerar um cenário passível de ação judicial quando funcionários serão obrigados a exercer a função de caixas, sem que essa função exista concretamente nas agências, sobretudo, as mais lotadas, configurando o que eles chamaram de “exercício instável da função”.

Segundo o presidente do Sindicato, Carlos Eduardo, ao ser questionado pela entidade, o Banco do Brasil respondeu que não iria negociar, que o conversado com o Sindicato é o mesmo conversado com os demais funcionários e que a postura do banco não estava sendo transparente. “Essa é uma estratégia para executar a reestruturação com o mínimo de reação possível. De nossa parte, já procuramos os parlamentares cearenses e o governador Camilo Santana esclarecendo sobre a postura do BB: fechamento de agências e seu impacto em várias cidades do interior prejudicando vários municípios”, esclareceu.

Todas as sugestões e encaminhamentos serão levados à reunião da COE BB que acontece nesta terça, 19/1. A reunião da COE BB vai traçar um novo calendário de mobilização para pressionar o banco e denunciar a reestruturação à sociedade.

O Sindicato orienta ainda que, em caso de dúvida, o funcionário deve procurar o Sindicato imediatamente de segunda a sexta, das 9h às 15h, ou através do telefone 85 3252 4266.

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here