1º DE MAIO: Com 20 mil nas ruas, centrais sindicais convocam greve geral em Fortaleza

21



Mesmo com chuva, mais de 20 mil trabalhadores e trabalhadoras que marcharam no final da tarde do dia 1º de Maio, Dia Interncional do Trabalhador, pelas ruas da Praia de Iracema, cartão postal da capital cearense.A manifestação saiu da Avenida Beira Mar, próximo ao espigão da Rui Barbosa e seguiu pela Avenida Historiador Raimundo Girão até o largo Luis Assunção, na Praia de Iracema, encerrando com ato político e show do cantor Erickson Mendes em tributo ao compositor cearense Belchior, falecido em abril de 2017.


O ato unificado do dia do trabalhador reuniu as centrais sindicais – CUT Ceará, CSB, CSP-Conlutas, Intersindical, CTB, as frentes Brasil Popular e Povo Sem medo, sindicatos, federações e teve como pautas a defesa da política de reajuste do salário mínimo, a luta por emprego e contra a reforma da Previdência (PEC 06/2019). A mobilização também repudiou a tentativa do governo de enfraquecer o movimento sindical por meio da publicação da MP 873/2019.


Greve Geral


O presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, anunciou que as centrais sindicais decidiram convocar uma greve geral que paralisará o país contra o fim da aposentadoria. A paralisação nacional será dia 14 de junho. “Vamos parar o Brasil em protesto contra essa perversa reforma da Previdência. Vamos dizer em alto e bom tom que não queremos nenhum direito a menos. Dia 14 de junho o país vai parar”, anunciou o dirigente.


Mobilizações no interior


Os movimentos sociais e sindical realizaram atos em todas as regiões do estado. No município do Crato, centenas de pessoas percorreram 10 km na madrugada desta quarta-feira pelas ruas da cidade. Já em Várzea Alegre, os manifestantes bloquearam a BR-230 em protesto contra o fim da aposentadoria. Atos religiosos, marchas e audiências públicas sobre a reforma da Previdência (PEC 06/2019) também foram realizados em dezenas de municípios, mobilizando agricultores familiares, professores, servidores públicos, estudantes, aposentados, sindicatos, federações e lideranças locais.