Banco Central atende solicitações dos bancários e agências terão alterações no horário de atendimento

43


O Banco Central atendeu as reivindicações do Comando Nacional dos Bancários para que o horário de atendimento nos bancos seja reduzido e haja controle de acesso as agências.


Na semana passada, foi criado um Comitê de Risco bipartite, reunindo o Comando Nacional dos Bancários – do qual o Sindicato dos Bancários do Ceará é membro, e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Com o objetivo de proteger bancários e a população, na quarta-feira, 18/3, o Comando enviou ofício ao Banco Central do Brasil solicitando o escalonamento de atendimento nas agências bancárias, bem como a limitação do atendimento no período de 10h às 14h. Em resposta, nesta quinta, 19/3, o Banco Central publicou circular dispondo que o horário de atendimento nos bancos seja reduzido e haja controle de acesso as agências. A circular libera ainda que os bancos sejam obrigados a comunicar as alterações ao Banco Central.


O Sindicato dos Bancários do Ceará, como um dos membros do Comitê de Risco bipartite, destaca que várias medidas internas já foram tomadas, em nível nacional, para tentar conter a disseminação do COVID-19 (Coronavírus) e proteger os trabalhadores do ramo financeiro, sem prejuízo de remuneração.  Grávidas, funcionários acima de 60 anos e portadores de doenças crônicas já foram liberados das agências bancárias, através de antecipações de férias e/ou enviados para realizar atividade home office, entre outras medidas. A entidade enviou também ofício ao governador do Ceará, Camilo Santana (PT), solicitando apoio na fiscalização do cumprimento da circular e na divulgação das alterações à população.


“Nosso objetivo é restringir aglomerações, visto que as agências bancárias são ambientes fechados, com ar condicionado, colaborando com a segurança sanitária da sociedade, mantendo o funcionamento das agências para necessidades inadiáveis da população que precisa de segurança sanitária e alimentar, através do sistema de pagamentos de benefícios previdenciários e de proteção social (bolsa família, seguro-desemprego etc.). Nosso objetivo é prezar pela segurança de todos, tanto usuários dos serviços bancários, quanto dos trabalhadores do setor”, afirma Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará.