BNB registra lucro líquido de R$ 1,5 bilhão em 2023

180

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) fechou o 3º trimestre de 2023 com resultados positivos em praticamente todos os setores. O lucro líquido, de janeiro a setembro deste ano, foi de R$ 1,5 bilhão, 19,1% superior na comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 1,2 bilhão). Os resultados foram apresentados nesta terça-feira, dia 21/11, via videoconferência.

O Banco registrou R$ 41,6 bilhões em operações de crédito, acréscimo de 16,6% em relação ao volume alcançado no período de janeiro a setembro de 2022. Já o lucro líquido específico do terceiro trimestre foi de R$ 601,4 milhões, acumulando R$ 1,5 bilhão no exercício.  O patrimônio líquido do BNB foi outro indicador a apresentar elevação, de 19,4%, saindo de R$ 8,6 bilhões em setembro de 2022 para R$ 10,3 bilhões neste ano.

Esse desempenho reforça o potencial de crescimento e de investimentos objetivando o desenvolvimento da região. Destaca-se também o empenho de todos os funcionários da Instituição nesse resultado histórico, reflexo do comprometimento e do esforço de todo o funcionalismo diante do papel social do BNB.

O Banco do Nordeste é a maior instituição financeira de desenvolvimento regional da América Latina. Com 292 agências, está presente em mais de dois mil municípios de sua área de atuação, que abrange os nove estados nordestinos e parte de Minas Gerais e do Espírito Santo. O BNB tem como principal fonte de recursos o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

Outros números

Além de bater um novo recorde no volume de contratações, o acumulado até setembro representa 78% do que foi projetado em termos de aplicações com o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para o ano de 2023, deixando apenas 22% do que está projetado para o último trimestre. “Estamos trabalhando para poder ampliar a capacidade de negócios e de concessão de crédito do Banco do Nordeste e, assim, atender à crescente demanda de pedidos de financiamento”, explica o presidente do BNB, Paulo Câmara. Subdividido em dez operações, o fundo, que é o principal modal de financiamento do banco, ultrapassou pela primeira vez a marca de R$ 30 bilhões em contratação neste ano.

O índice de Eficiência Operacional do Banco ao final do terceiro trimestre alcançou 50,8%, o que representa uma redução de 2,2 pontos percentuais em relação a setembro de 2022. Esse indicador aponta quanto custa para o banco gerar receitas.

Dos quatro principais programas de crédito do banco, três tiveram alta nos nove primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2022:

Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE):

Contratações: de 516,9 mil para 581,1 mil (+ 12,4%);

Volume financeiro: de 25,7 bi para 30,3 bi (+ 17,9%);

Microcrédito (Crediamigo e Agroamigo):

Contratações: de 2,53 milhões para 2,55 milhões (+ 1%);

Volume financeiro: de 7,7 bi para 7,4 bi (- 3,9%);

Infraestrutura:

Contratações: de 54 para 157 (+ 290,7%);

Volume financeiro: de 5,8 bi para 8,1 bi (+ 39,6%);

Micro e Pequenas Empresas (MPE):

Contratações: de 22,3 mil para 20 mil (- 10,3%);

Volume financeiro: de 3,3 bi para 3,5 bi (+ 6%).

Fonte: SEEB/CE, com informações do site do BNB e do jornal Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here