Caged registra saldo negativo de empregos nos bancos, apesar dos lucros

8









Normal
0


21


false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE






































































































































































/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, os bancos, um dos setores que mais lucra no país, cortaram 1.574 postos de trabalho entre janeiro e outubro deste ano. No entanto, o saldo do mês de outubro foi positivo, com a criação de 167 vagas. Os cinco maiores bancos que atuam no Brasil são responsáveis por 90% dos empregos bancários.


Juntos, os cinco maiores bancos  – Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa – lucraram R$ 65 bilhões somente até agosto desse ano. E esse resultado é 20,4% maior do que o apresentado no mesmo período de 2017. Ou seja, lucram cada vez mais e deveriam criar empregos e não extinguir.

Caged


Os bancos múltiplos com carteira comercial (categoria na qual estão incluídos BB, Itaú, Bradesco e Santander) tiveram saldo positivo de empregos em outubro, com a criação de 168 vagas. No entanto, o saldo de janeiro a outubro é negativo, com a extinção de 702 postos de trabalho.


A Caixa ocupa sozinha a categoria caixas econômicas do Caged, teve saldo negativo em outubro (menos 14 empregos) e negativo também no acumulado do ano (janeiro a outubro): já cortou 1.035 postos de trabalho. O que deve se agravar ainda mais com o Programa de Desligamento de Empregado – PDE, aberto pelo banco público, cujo objetivo é dispensar mais 1.626 empregados. O banco ainda não divulgou quanto empregados  aderiram.

Rotatividade


Entre janeiro e outubro, os bancos admitiram 24.881 trabalhadores e desligaram 26.455. Segundo Caged, essa rotatividade também diminui os gastos com mão de obra, uma vez que os admitidos entram ganhando bem menos que os que saíram. Em média, o salário de quem entrou é 66% da remuneração de quem saiu.