Comando Nacional cobra respostas às pendências negociadas com o BNB

71

Na última sexta-feira, dia 5/8, o Comando Nacional dos Bancários, assessorado pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, esteve reunido com a direção do Banco para mais uma rodada de negociação da campanha nacional. A reunião aconteceu na sede administrativa do BNB, em Fortaleza.

Durante o encontro, a representação dos bancários cobrou do Banco respostas para pendências das reuniões anteriores, além de apontar algumas cláusulas sociais importantes para a categoria.

A direção do BNB se comprometeu a realizar uma campanha de conscientização financeira e avaliar casos de endividamento mais pontuais como forma de minimizar as dificuldades financeiras do funcionalismo. Os bancários reivindicam condições especiais de crédito para os funcionários.

O Banco também se comprometeu a tentar oferecer às mães que estão voltando da licença maternidade a possibilidade de aderir à modalidade do teletrabalho. A categoria reivindica que o Banco coloque em teletrabalho por 6 meses logo após a licença maternidade as funcionárias que assim solicitarem.

A direção do BNB informou ainda que deve viabilizar comissões paritárias para o processo eleitoral da Comissão de Ética e Caref, além do acesso aos cursos de formação bancária a todos os funcionários, inclusive dirigentes e quem está afastado.

O Comando Nacional ressaltou ainda para o Banco a necessidade de se debater o teletrabalho para se construir um acordo específico sobre o tema e cobrou a apresentação de uma proposta para fechamento do acordo específico dos trabalhadores do BNB, concomitante com a proposta a ser apresentada pela Fenaban.

Outros temas debatidos

Licença menstrual – O Comando reivindica até três dias de ausência abonada para funcionárias que apresentem problemas de saúde que provoquem desconforto menstrual que possam afetar desempenho no serviço. O Banco informou que tem tratado casos  relativos ao tema com humanidade e que a concessão de dias abonados poderia fazer com que as mulheres com problemas não procurem atendimento médico, mas que iria submeter o pleito ao setor de qualidade de vida.

Concorrências – Os dirigentes sindicais reivindicaram que a avaliação do gestor não seja eliminatória, já que essa avaliação pode ser motivada por critérios pessoais. O Banco respondeu que a avaliação do gestor é necessária e que esta é submetida à análise da direção.

Abono das horas não trabalhadas durante a pandemia – O Comando solicitou abonar as duas horas extras dos funcionários com jornada de 8h não trabalhadas durante a pandemia, uma vez que a redução foi iniciativa do Banco. A direção da instituição informou que viabilizou todas as possibilidades do trabalho durante a pandemia e que abonar para uns seria injusto com quem já pagou. Informou ainda que os casos são poucos e que serão avaliados.

Comitê COVID e Comissão de Avaliação de Desempenho – O Comando cobrou o debate desses temas e o Banco reconheceu a importância dessa discussão, mas não tem como aprofundar esses temas durante a campanha salarial se comprometendo a debatê-los posteriormente.

Calendário – A próxima rodada de negociação com o BNB está marcada para o próximo dia 19/8,  às 15h, em Fortaleza. Entre os dias 23 e 25/8, haverá um plantão de negociação em São Paulo, envolvendo o BNB, outros bancos públicos e a mesa com a Fenaban. Já no dia 26/8 haverá outra rodada em Fortaleza.

Presenças – Os funcionários do BNB foram representados pelo secretário geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga, a diretora do SEEB/CE, Carmen Araújo (também na coordenação da CNFBNB), Iury Filgueiras (SEEB/AL), Rubens Nadiel (SEEB/PE), Marcos Vinicius (SEEB/PI), Carlos Eduardo (Fetrafi/NE), Robson Araújo (SEEB/PB), Jeane Marques (SEEB/BA), Wellington Nascimento (SEEB/SE) e Waldenir Brito (Federação BA/SE).

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here