Comitê de Mulheres Bancárias Ana Dantas promove roda de conversa sobre Racismo

12



O Sindicato dos Bancários do Ceará, através do Comitê de Mulheres Bancárias Ana Dantas, realizou no sábado, 23/11, uma roda de conversa alusiva ao Dia da Consciência Negra, comemorado no dia 20/11. O evento teve a presença do escritor, ator, roteirista, diretor e educador social (UFMG), Plínio Camillo.


Para a roda de conversa Precisamos Falar sobre Racismo, Plínio Camillo trouxe o debate Notas de Escurecimento, um projeto seu que se baseia na utilização de poemas de diversos autores negros, utilizando-se da literatura brasileira para se levantar discussões sobre a luta do povo negro, discriminação, racismo velado, cultura e resistência.


“A maioria nas favelas, nas cadeias, é população negra e não é por acaso. Esse é um ponto para se refletir. Os negros não vieram ao Brasil a convite. Eles eram sequestrados em seus países, jogados em navios em condições desumanas e os que sobreviviam tinham de se adaptar a uma cultura e a um lugar que não era o seu. Cultuar santos que não eram os seus. E já aí começou a resistência e a luta pela sobrevivência”, destacou Plínio Camillo.



Durante os debates, pode-se ouvir diversos depoimentos sobre histórias de vida, preconceitos sofridos pessoalmente ou por familiares/ancestrais, brincadeiras veladas ditas no cotidiano da sociedade, tipo expressões como “negro de alma branca”, “negro querendo ser gente”, “casou com uma branca para clarear a família” etc. que são ditas em tons de piada, mas que são sintomas claros de racismo, sim.


Essa foi a mensagem que ficou do evento. É contra esse racismo velado e institucional, e muitas vezes, até descarado, que temos que levantar e lutar!



Veja mais fotos aqui