CUT-CE lança plataforma para eleições com diretrizes em defesa dos trabalhadores

28

Com o lema “Em defesa da vida, dos empregos, direitos e da democracia”, a Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) lançou, na tarde desta quinta-feira (15/09), a Plataforma da Central para as Eleições 2022. O documento foi apresentado em solenidade híbrida com a presença de cerca de 100 dirigentes sindicais, que representaram todos os ramos de atuação da Central.

De acordo com Wil Pereira, presidente da CUT Ceará, o documento é uma síntese de propostas de interesse da classe trabalhadora, que abrange desde desenvolvimento econômico e sustentável até a valorização do trabalho, com políticas de distribuição de renda, geração de emprego de qualidade, inclusão social e democratização das relações de trabalho.

“A plataforma foi construída em conjunto com todos os ramos da CUT, abrangendo a defesa da democracia, da cidadania, da vida e dos direitos para a retomada do desenvolvimento econômico e social”, destacou o dirigente.

A CUT tem tradição em debater internamente os problemas do país e elaborar propostas para municípios, estados e o país, em eventos realizados juntamente com as CUTs estaduais. Até 2009, os dirigentes elaboravam cartas compromisso. A partir de 2010, passou a construir as plataformas, que são entregues aos candidatos e candidatas durante as campanhas eleitorais.

O objetivo é contribuir para o “diálogo com a sociedade e parceiros do movimento social e sindical”, na construção de pautas de interesse da classe trabalhadora, como destaca o texto de apresentação do Plataforma.

Para o coordenador geral da Escola Sindical da CUT no Nordeste Marise Paiva de Morais, Manoel Messias do Vale, a CUT vem exercendo historicamente um papel de defesa e de luta dos interesses de trabalhadores e trabalhadoras. Neste sentido, ele afirma que a Plataforma contribui politicamente para a região Nordeste com eixos e pautas de interesses dos e das trabalhadoras. “A plataforma da CUT é um espaço de preparação e construção dos conhecimentos em prol do movimento sindical e social diante das tantas violações de direitos que estamos vivenciando.”, finalizou Messias Vale.

“A plataforma da CUT é um instrumento fundamental pois ela abordas as principais propostas políticas e sociais da classe trabalhadora e fortalecimento da conjuntura política da classe trabalhadora”, completou o presidente da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Nordeste (Fetrafi/NE), Carlos Eduardo.

Voto consciente

“A CUT tem exercido um papel fundamental na defesa dos interesses da classe trabalhadora e no fortalecimento da luta contra o desmonte de políticas públicas promovido pelo Governo Federal”, disse o presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), Raimundo Martins, ao também ressaltar que o documento apresentado pela CUT é importante para nortear os trabalhadores na hora de comparar propostas e planos de governo de candidatas e candidatos e decidir o voto. Raimundo afirmou ainda, que é preciso apoiar candidaturas que estejam comprometidos com as pautas sociais.

“É um desafio para cada um de nós, desenvolver um trabalho de conscientização e orientação dos trabalhadores, para e eleição de políticos que represente a sociedade”, destacou Francimar Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Empregadas e Empregados do Comercio e Serviço do Estado do Ceará (Fetrace).

Orientação

Entre as diretrizes da plataforma estão a defesa da democracia, da cidadania e dos direitos humanos; o restabelecimento do papel do Estado como indutor da economia e implementação das reformas, como agrária, tributária e política; e o fomento à retomada do desenvolvimento econômico e social.

De acordo com a secretária de saúde do trabalhador da CUT Ceará e secretaria de organização e política sindical da Fetamce, Carmem Santiago, a CUT orienta toda a sua base a utilizar o documento como referência. O texto também serve à orientação de mobilizações, com ações integradas aos Comitês de Luta da CUT, lançados em fevereiro deste ano, e às brigadas digitais, para que as propostas sejam debatidas, reivindicadas e implementadas pelos eleitos.

“É um momento histórico que estamos vivendo diante dessa conjuntura política que estamos vivendo nesse país, contra a fome, contra o desemprego. Por isso temos um papel fundamental nessa luta e reivindicações por mais direitos”, concluiu a dirigente.

Clique aqui para ler ou baixar a Plataforma da CUT

Fonte: CUT-CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here