Dia Nacional de Luta no Santander: Não há motivos para demissões!

12


Não há justificativa para as demissões. O @Santander_br apresentou lucro de R$ 3,8 bilhões, nos primeiros três meses do ano, alta de 10,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro obtido no Brasil representou 29% do lucro global. #SantanderRespeiteOBrasil


Crise para os bancos? O Governo Federal brasileiro liberou aos bancos mais de R$ 1 trilhão, o que desmente a justificativa do @Santander_br em demitir por conta de ajuste econômico gerado pela crise. #SantanderRespeiteOBrasil


Em março, o Santander se comprometeu publicamente em mesa de negociação com o movimento sindical em suspender as demissões que poderiam estar em andamento e a não demitir enquanto a pandemia perdurar no país. O que mudou @Santander_br? #SantanderRespeiteOBrasil


O desrespeito do @Santander_br não é somente com o trabalhador, mas toda a sociedade brasileira. As práticas antissindicais do banco se tornaram frequentes e o desrespeito só aumenta.  Você trabalharia em um banco que pode te demitir durante uma pandemia? #SantanderRespeiteOBrasil


O @Santander_br justificou as demissões durante a pandemia declarando que a “meritocracia é um dos grandes valores da instituição”. Em média, a diretoria executiva do banco recebeu 9,4 mi em 2019, será que eles têm o mesmo tratamento dos trabalhadores? #SantanderRespeiteOBrasil


O @Santander_br opera como concessão pública no Brasil, país do qual retira a maior parcela do seu lucro mundial. E deve oferecer contrapartidas, como tarifas e taxas não extorsivas e não contribuir para a já elevada taxa de desemprego no país.#SantanderRespeiteOBrasil


Se o @Santander_br não está realizando demissões nos outros países onde opera, queremos o mesmo tratamento no Brasil. Reivindicamos que a negociação e os acordos firmados com os representantes dos trabalhadores sejam respeitados. #SantanderRespeiteOBrasil


Realizar demissões em meio a uma pandemia global, da qual o Brasil é o novo epicentro, é praticar uma gestão desumana. Se em condições normais já é difícil conseguir uma recolocação profissional, imaginamos como os trabalhadores vão ficar agora. #SantanderRespeiteOBrasil