Dia Nacional de Luta: Sindicato reforça a luta em defesa do BNB e demais bancos públicos

19



O Sindicato dos Bancários do Ceará junta-se aos demais Sindicatos no Dia Nacional de Luta em defesa dos bancos públicos e promoveu um ato nesta quarta-feira, 30/8, no Banco do Nordeste do Brasil (Agência Centro). Mobilizou bancários e a população na defesa dessa Instituição importante de fomento da economia e do bem estar social, especialmente do Nordeste.  Houve também protesto contra o desmonte proposto pelo governo golpista Temer, não só nos bancos, mas em todas as empresas públicas.


Para Tomaz de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e diretor do Sindicato, “nosso ato foi de protesto porque queremos a suspensão imediata da reestruturação que o BNB está fazendo, que não atende os interesses dos seus funcionários, nem aos interesses do Nordeste, nem da sociedade.  A reestruturação vai acabar com comissões, levar à demissões, porque o recado do governo federal para o BNB é enxugar, colocar terceirizados. Enfim, temos que reagir e rápido”.


Como a partir de novembro a lei da reforma trabalhista começa a valer, as expectativas são de que os bancos, os patrões, vão poder fazer tudo contra os trabalhadores. A Contraf-CUT e os sindicatos já estão mobilizando audiências públicas em Assembleia Legislativas e Câmara Municipais, onde tem BNB em sua base, para levar o debate à sociedade.


Os dirigentes sindicais ressaltaram que é preciso ampliar a discussão, pois não podemos achar que vamos escapar das arbitrariedades do governo golpista Temer, que visa entregar os bancos públicos para iniciativa privada, assim como já anunciou que fará com a Eletrobrás e até mesmo a Casa da Moeda.


Desmonte na Caixa – Segundo Túlio Menezes, diretor do SEEB/CE e empregado da Caixa, “a reestruturação é um desmonte e também atinge a Caixa Econômica Federal. O Sindicato já vem alertando há tempos sobre essa ameaça aos bancos públicos, que são instrumentos importantes para alavancar a economia do país, especialmente no Nordeste. O BNB ao lado do BB e Caixa são esses instrumentos. Infelizmente, o que vem acontecendo foi alertado por nós. Muitos acharam que o golpe do impeachement era para combater a corrupção, mas era para desmontar o Estado brasileiro e entregar nossas empresas estatais ao capital privado. O remédio é resistência e muita luta”, afirma.


“Nós sabemos que estamos ameaçados. Precisamos reagir e reagir rapidamente. O Sindicato está junto com as centrais CUT e CTB,  e a Contraf, para fazer a resistência e os funcionários do BNB precisam estar juntos, buscando apoio da sociedade para manter o Banco, o único capaz de levar recurso ao pequeno produtor familiar e microcrédito aos nordestinos”, disse Tomaz de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e diretor do SEEB/CE.


Source: Noticia58