Em reunião da mesa permanente, Contraf cobra mais contratações para o BNB

185

A Contraf-CUT, assessorada pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), se reuniu com a direção do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) para mais uma rodada de negociação permanente, abordando diversas demandas do funcionalismo do Banco. A reunião aconteceu nesta sexta-feira, dia 2/6, na sede administrativa do Passaré, em Fortaleza, e contou com a presença do diretor administrativo e de TI do BNB, Haroldo Maia, a Superintendente de Desenvolvimento Humano, Danielle Gonçalves e assessores.

Inicialmente, as entidades representativas dos funcionários cobraram a direção do Banco pelo aumento do número de funcionários, sobretudo nas agências, cujo quadro é insuficiente para atender a demanda. “Essa é uma reivindicação constante das entidades sindicais pois com mais contratações, além de suprir a demanda dentro das unidades, ainda contribui para o fortalecimento do BNB”, destacou o secretário geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga.

Os dirigentes sindicais questionaram ainda sobre o Promova-se e o Convergente, sobretudo a respeito de uma avaliação sobre a pontuação das centrais e pontuações específicas para concorrências, além de cobrar uma divulgação maior do painel de concorrência com o objetivo de dar mais visibilidade aos colegas das agências. O Banco informou que vem realizando alguns estudos e que deve dar um retorno em breve.

Os funcionários questionaram ainda sobre o acúmulo de função entre gerente operacional e gerente administrativo e o Banco também ficou de dar uma resposta em breve.

A Comissão Nacional cobrou ainda um posicionamento sobre a requalificação das agências e o Banco ficou de apresentar um estudo sobre o tema. Outra cobrança foi relativa à reestruturação do Plano de Cargos e Salários. Segundo as entidades, este precisa ser revisto com urgência, pois houve uma mudança geracional dentro do Banco e logo essas pessoas estarão no último nível, sem possibilidade de avanço na carreira, como já acontece em muitos casos.

Os dirigentes questionaram ainda sobre o encarreiramento de áreas técnicas e o Banco informou que está fazendo estudos sobre o tema. A Comissão Nacional reforçou, entretanto, que independente da área técnica, todos são bancários e são abrangidos pela CCT da categoria.

Em seguida, os dirigentes questionaram sobre a adição virtual, pois o regulamento é confuso. O Banco ficou de rever o normativo e fazer uma nova redação esclarecendo as dúvidas. Com relação ao trabalho de sobreaviso, a CNFBNB cobrou uma regulamentação e o Banco ficou de avaliar.

Por fim, os dirigentes sindicais novamente questionaram o Banco sobre a redução da jornada de trabalho para pais com filhos portadores de necessidades especiais. O Banco informou que está aberto a essa reivindicação e está analisando como isso é abordado pelos outros bancos públicos, mas que deve fazer um levantamento e conversar com a SEST sobre a demanda.

Além do representante da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga, participaram ainda da reunião Océlio Silveira (CE), Lusemir Carvalho (PI), Robson Araújo (PB), Iury Filgueira (AL), Fernando Batata (PE) e Waldenir Brito (FEEB BA/SE).

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here