Empregados do Ceará denunciam ataques à Caixa em Dia Nacional de Luta

12



Os empregados da Caixa realizaram na quarta-feira, dia 5/2, mobilização em todo o país para denunciar o ataque aos direitos dos trabalhadores e o desmonte do banco. Em Fortaleza, a manifestação aconteceu na agência da Caixa na Praça do Ferreira, onde os diretores do Sindicato realizaram conversas com clientes e empregados denunciando os ataques à Caixa e mostrando a importância de se manter a Caixa 100% Pública.


A Contraf/CUT encaminhou ofício à direção da Caixa Econômica Federal reivindicando a suspensão da reestruturação, anunciada pela empresa em 22 de janeiro, e o agendamento de reunião com a comissão de empregados para debater o processo. No ofício, a Contraf/CUT destaca que “as alterações nas áreas impactam drasticamente os empregados, que se encontram em situação vulnerável, inclusive pela falta de informações, gerando pânico quanto a eventuais extinções e dispensas das funções, que repercutem na vida financeira e pessoal dos empregados”.


A nova reestruturação revela também a intenção em reduzir o papel social da Caixa. As mudanças não levam em conta todo o esforço dos empregados nem o sucesso obtido com o pagamento do FGTS, PIS, dentre outros programas sociais.


A reestruturação precariza ainda mais as condições de trabalho, acarretando problemas como mudança brusca de atividades, cobranças de metas abusivas, descomissionamentos sumários, fim de postos de trabalho e transferências compulsórias. É fundamental que a Caixa abra discussão com as entidades sindicais para buscar soluções para os impactos na vida funcional dos empregados, que estão sendo afetados pelas reestruturações, estabelecendo algumas garantias para que não haja prejuízos aos trabalhadores.


“Nunca se viu tamanha mudança no perfil da Caixa. O nosso foco é manter o papel social da Caixa, que o banco permaneça 100% público, atendendo a população, porque a Caixa é do povo brasileiro. Mas para que possamos vencer essa batalha, precisamos fortalecer ainda mais nossa mobilização e unidade, para garantir nossos direitos e a Caixa que queremos”, disse o diretor do Sindicato e da Fenae, Marcos Saraiva.

Reunião – Na terça, dia 4/5, o Sindicato realizou uma reunião na sede da entidade para esclarecer aos empregados sobre o novo processo de reestruturação. Os diretores da entidade, Áureo Júnior e Túlio Menezes, que participaram de reunião com a superintendência da Caixa no Estado, falaram da preocupação com a falta de prioridade para o social nesse novo modelo, apontando até para a segmentação de atendimento em algumas agências. A advogada do Sindicato, Virginia Porto, também esteve presente e tirou dúvidas sobre temas como incorporação de função, transferências, entre outras questões.