Funcionários do BB no Nordeste debatem mobilizações do Dia Nacional de Luta e em defesa da saúde

103

Na noite desta segunda-feira, dia 24/1, os funcionários do Banco do Brasil do Nordeste estiveram reunidos, através da plataforma Zoom, numa plenária para debater a situação atual do BB no que diz respeito aos protocolos sanitários e a saúde coletiva. A plenária foi organizada pela Fetrafi/NE, quando foram esclarecidas dúvidas para os delegados sindicais e repassadas as informações das mobilizações nas bases da Federação.

“A plenária foi deliberada pela Comissão de Empresa para debater a situação das agências do BB durante esse momento na pandemia. É preciso fortalecer a nossa mobilização neste momento quando registramos um aumento significativo dos casos de Covid e influenza”, esclareceu o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará e da Fetrafi/NE, Carlos Eduardo.

“Estamos novamente passando por momentos difíceis com esse surto de covid e com a intransigência dos bancos por não retomarem os cuidados devidos. O BB está se colocando de uma forma intransigente e insensível, nos obrigando a nos mobilizarmos e organizarmos um grande dia nacional de luta”, destacou Sandra Trajano, coordenadora regional da COE BB.

O coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, João Fukunaga, também participou da plenária e falou que, historicamente, temos negociado pendências do funcionalismo com a direção do banco, mas que, nos últimos tempos, temos encontrado dificuldades nesse sentido. “Procuramos o banco para negociar, recorremos ao Ministério Público para debater o manual de protocolos sanitários, mas o banco não se mostrou maleável. Estamos enxergando uma política negacionista dentro do Banco que vem ignorando o agravamento da pandemia”, avaliou.

Segundo Fukunaga, a Comissão de Empresa está montando um dia nacional de luta, na próxima quinta-feira, dia 27/1. Serão realizados debates com os delegados sindicais, plenárias, tuitaços, manifestações em algumas bases, chamada para vestir preto, com o tema “Desplugue-se e lute! Sua vida vale mais!”.

“Precisamos nos mobilizar porque esse ano teremos campanha salarial e se o banco não está querendo debater um manual de protocolos sanitários, que dirá as reivindicações de uma campanha. Por isso, precisamos estar organizados e fortalecidos. Esse ano será difícil, pois já começamos sofrendo diversos ataques”, finalizou.

“Numa conjuntura adversa em 2020, nós conseguimos fechar um acordo coletivo e uma convenção coletiva que garantiu direitos dos bancários. Fruto da nossa mobilização e organização nacional. E esse ano teremos esse desafio novamente. Em momentos de ataques à democracia e aos direitos, as pessoas têm medo, mas existe a necessidade de mobilizar para manter direitos e garantir o acordo que previne a nossa saúde. Nesse momento nossa unidade e mobilização são fundamentais”, concluiu o presidente da Fetrafi/NE, Carlos Eduardo.

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here