Itaú: Assédio moral é problema constante nas agências

55

Assédio moral: a exposição de alguém a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas, durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. Uma das maiores preocupações dos bancários é a institucionalização e disseminação dessa prática. A cobrança é intensa, muitos trabalhadores são pressionados excessivamente e não resistem, sucumbindo à depressão.

Nas agências bancárias, o sentimento geral passou a ser de verdadeiro terror. A pressão, sempre constante, e a ameaça insistente de demissão pelo não cumprimento das metas fazem com que os funcionários ultrapassem seus próprios limites, passando a viver sempre como se tivessem uma espada pendurada sob suas cabeças. Boa parte desses esforços vão além do tolerável e acabam afetando a saúde psicológica dos funcionários, pois sabem que se não alcançarem os padrões determinados serão alvos de pressão pelos gestores e até pelos próprios colegas. As consequências disso são inúmeros afastamentos em virtude de doenças físicas e mentais em decorrência dessa forma de tratamento.

Ademais, o Itaú vem implementando uma política de demissões e fechamento de agências, gerando alta rotatividade, aumentando seus lucros, pois força a queda do nível salarial dos funcionários e causando ainda mais pânico nas unidades. Quem fica, também sofre, pois tem de enfrentar todos os dias as agências lotadas e ainda cumprir metas que são elevadas constantemente.

Denuncie – O despreparo dos gestores é um ponto comum em praticamente todas as agências, o que leva à cobrança exagerada de metas, caracterizando assim o assédio moral. Há, portanto, que se implementar várias medidas a fim de se coibir o assédio moral. Dentre eles, é possível citar a instalação de um canal de reclamações realmente eficiente e atuante, aliado à necessidade de requalificação de gestores que precisam motivar sua equipe e não, simplesmente, cobrar, amedrontar e ameaçar. A denúncia geralmente deixa de ser formalizada porque o bancário teme represálias.


“O assédio moral dentro do Itaú está bem difundido e institucionalizado. Essa prática é observada na quase totalidade das agências e se efetiva por meio de cobranças abusivas por metas, que partem dos cargos mais altos da empresa, e terminam por incidir sobre os bancários. Todo assédio deve ser denunciado imediatamente ao Sindicato. Aos bancários que se sentem abusados de alguma forma, nos procurem, pois faremos o possível para coibir tais práticas”
Ieda Marques, diretora do Sindicato e funcionária do Itaú


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here