Lançado Comitê do Forum Alternativo Mundial da Água no Ceará

14



O Comitê do Fórum Alternativo Mundial da Água Ceará (FAMA-CE) foi lançado no último dia 17/1, no auditório Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa, para discutir e encaminhar permanentemente (para muito além só do FAMA em Brasília) todas as questões relacionadas à água, tanto no que diz respeito a qualidade, mas sobretudo na sua democratização e construção do seu perfeito controle social – garantindo que a água não será mercadoria, mas sim sempre um direito.


Estavam presentes e compondo este comitê do FAMA, cerca de 30 entidades, entre eles movimentos sociais, centrais sindicais, socioambientais, pastorais, estudantis e a sociedade em geral, inclusive parlamentares. Também esteve como observador um representante da Secretario de Meio Ambiente do Estado.


Com o lema “Água é direito, não mercadoria”, o FAMA, que ocorrerá na UnB e outros espaços de Brasília, foi criado em contraposição ao 8º Fórum Mundial da Água – FMA, marcado para acontecer no período de 18 a 23 de março de 2018, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, organizado pelo Conselho Mundial da Água.


O FAMA está reunindo os esforços dos movimentos sociais nacionais e internacionais para afirmar o acesso à água como um direito humano fundamental, sobretudo para os que vivem o empobrecimento, os conflitos por água, e para quem a água se tornou um recurso inacessível, devido a destruição ambiental, incluindo o desequilíbrio climático, que determina a quebra dos serviços ambientais, e para enfrentar os grupos econômicos que querem privatizar/ “sequestrar” a água com destaque para as iniciativas das grandes corporações que privatizam e mercantilizam a água de maneira crescente.


O Fórum Mundial da Água (FMA) visa iludir a população e privatizar e comercializar a água em ferindo a humanidade. Os organizadores conclaram a participação de todo cidadão no FAMA, que deve também denunciar esse ataque ao bem comum, a água, que não pode ser gerida por interesses privados. Todo cidadão deve ser multiplicador dos cuidados que deve-se ter para evitar que a água seja privatizada.


O lançamento deste comitê do FAMA teve na coordenação dos trabalhos a advogada Naia Carvalho, que integra a Marcha Mundial do Clima, e transcorreu com uma mística no início conduzida pelo MST do acampamento Zé Maria do Tomé de Limoeiro do Norte, região do Ceará que está no centro de um emblemático conflito pela água entre os trabalhadores e o agronegócio, como também está a comunidade do Lagamar do Cauípe.


A cerimônia foi o primeiro passo de muitos que comitê darrá antes e depois do FAMA em Brasília. Em duas mesas: uma com análise de conjuntura nacional, local e internacional, contaram com a participação dos profs, Francisco de Assis e Roberto Ferdinand (consultor em saúde pública e meio ambiente), e a outra abordando os conflitos pela água com a participação de Iris do MST, Também foi convidado para proferir algumas palavras o prof. Alexandre Costa, que integra um outro comitê do FAMA no Ceará, sobre mudanças climáticas e água. No encerramento foram feitas saudações por nove entidades estaduais que integram este comitê, entre elas UNE, CUT, CPT, CTB, MOVA – SE, Sindiáguas e CETRA.


TODOS À BRASÍLIA PARA O FAMA !


ÁGUA É DIREITO, NÃO MERCADORIA !


 


Source: Noticia57