Luta pela democracia, pelos direitos e pela liberdade de Lula marcaram o 13º Concut

15




 


Mais de dois mil delegados e delegadas, homens e mulheres, do campo e da cidade de todo o país participaram, de 7 a 10 de outubro, na Praia Grande, litoral de São Paulo, do 13º Congresso Nacional da CUT “Lula Livre – Sindicatos Fortes, Direitos, Soberania e Democracia”. Com a presença de líderes sindicais, políticos e movimentos sociais, os congressistas reafirmam que somente com Lula livre é possível o Brasil resgatar sua democracia, direitos trabalhistas e sua soberania.

Sindicalistas de todo o mundo pedem Lula livre


Mais de 100 sindicalistas de 50 países do mundo também participaram do Congresso. Para eles o Brasil vive um cenário conturbado, com ataques aos direitos dos trabalhadores e ampliação do desemprego.


O secretário-geral da UGT, a maior central espanhola, Pepe Alvarez, anunciou que a entidade, a mais antiga do sindicalismo espanhol, com 130 anos de existência, instituiu um prêmio internacional e o primeiro será dado a Lula. O ex-presidente é mantido preso político na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde 7 de abril do ano passado, depois de um processo fraudulento comandando pelo ex-juiz Sérgio Moro, que virou ministro da Justiça do governo que ajudou eleger.


“Para os trabalhadores de todo o mundo, Lula é como Mandela [ex-presidente da África do Sul, que ficou preso por 27 anos, por sua luta contra o apartheid]. A libertação de Lula é uma exigência de todo o sindicalismo internacional”, afirmou Alvarez.

Volta da democracia e da verdade


A presidenta Dilma Rousseff falou durante o ato de abertura, na noite de segunda-feira, e destacou o papel da CUT na articulação da resistência contra os abusos do governo: “Os sindicatos estão em pé e aprendendo a lutar nessa fase adversa. Não só a democracia foi ameaçada, mas uma das maiores vítimas foi a verdade”.

Nova diretoria


Os delegados e delegadas do congresso elegeram, por unanimidade, Sergio Nobre para a presidência da entidade. O metalúrgico do ABC presidirá a nova direção Nacional da CUT até 2023. A vice-presidência será ocupada pelo representante do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, Vagner Freitas, presidente por dois mandatos. A Secretaria Geral será comandada, pela primeira vez, nos 36 anos de CUT por uma mulher, a trabalhadora rural, Carmen Foro.


Em seu discurso de posse, Sérgio Nobre destacou que o período de seu mandato será duro em consequência dos ataques aos direitos que a classe trabalhadora vem sofrendo desde o golpe de 2016, e mais fortemente nos últimos dez meses do atual governo, que só apresenta propostas de retirada de direitos sociais e trabalhistas e não tem projeto de desenvolvimento econômico, com justiça, inclusão social e geração de emprego e renda.

Vera abaixo a diretoria eleita:


Presidente

Sergio Nobre


Vice-Presidente

Vagner Freitas


Secretária-Geral

Carmen Helena Ferreira Foro


Secretário-Geral Adjunto

Aparecido Donizeti da Silva


Secretário de Administração e Finanças

Ariovaldo de Camargo


Secretária-Adjunto de Administração e Finanças

Maria Aparecida Faria


Secretário de Relações Internacionais

Antonio de Lisboa Amâncio Vale


Secretário-Adjunto de Relações Internacionais

Quintino Marques Severo


Secretário de Assuntos Jurídicos

Valeir Ertle


Secretário de Comunicação

Roni Anderson Barbosa


Secretário-Adjunto de Comunicação

Admirson Medeiros Ferro Junior (Greg)


Secretário de Cultura

José Celestino (Tino)


Secretária de Formação

Rosane Bertotti


Secretária-Adjunta de Formação

Sueli Veiga de Melo


Secretária de Juventude

Cristiana Paiva Gomes


Secretário de Relações de Trabalho

Ari Aloraldodo Nascimento


Secretária-Adjunta de Relações de Trabalho

Amanda Gomes Corsino


Secretária da Mulher Trabalhadora

Junéia Batista


Secretária de Saúde do Trabalhador

Madalena Margarida da Silva


Secretária-Adjunta de Saúde do Trabalhador

Maria de Fátima Veloso Cunha


Secretária de Meio Ambiente

Daniel Gaio


Secretária de Mobilização e Movimentos Sociais

Janeslei Albuquerque


Secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos

Jandyra Uehara


Secretário-Adjunto de Políticas Sociais e Direitos Humanos

Ismael Cesar José


Secretária de Combate ao Racismo

Anatalina Lourenço


Secretária-Adjunta de Combate ao Racismo

Rosana Sousa Fernandes


Secretária de Organização e Política Sindical

Maria das Graças Costa


Secretária-Adjunta de Organização e Política Sindical

Jorge Farias


Diretores executivos

Aline Marques

Ângela Maria de Melo

Claudio Augustin

Cláudio da Silva Gomes

Eduardo Guterra

Francisca Trajano dos Santos

Ivonete Alves

João Batista (Joãozinho)

José de Ribamar Barroso

Juvandia Moreira Leite

Marcelo Fiorio

Marcelo Rodrigues

Mara Feltes

Maria Josana de Lima

Maria Julia Nogueira

Marize Souza Carvalho

Milton dos Santos Rezende (Miltinho)

Pedro Armengol

Rogério Pantoja

Sandra Regina Santos Bitencourt

Virginia Berriel

Vitor Carvalho


Conselho Fiscal – Efetivos:

Adriana Maria Antunes

Dulce Rodrigues Mendonça

Francisco Chagas (Chicão)

José Mandu


Conselho Fiscal – Suplentes:

Hugo Gimenes

Juseleno Anacleto

Raimunda Audinete de Araújo

Sebastiana De Oliveira Santana