Dia Nacional de Luta: bancários do Ceará denunciam onda de demissões no Itaú

33

Os bancários do Itaú em todo o Brasil realizaram nesta quinta-feira (14/7) um Dia Nacional de Luta contra a reestruturação do banco, anunciado no início do mês. No Ceará, o Sindicato realizou uma manifestação em frente a uma das principais agências do Itaú no centro de Fortaleza, na rua Major Facundo, em protesto contra a automação da Diretoria de Operações Centralizadas e da Diretoria de Negócios ItauCred Veículos, que tem gerado muitas demissões.

O banco deu o prazo de apenas 15 dias para a área de consignado e 60 dias para a área de veículos para realocação dos funcionários, no qual o bancário terá de se candidatar a uma vaga e passar por processo seletivo interno, para só depois ter o retorno da aprovação. Isso se conseguir encontrar uma vaga. Segundo informações recebidas pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, somente no início dessa reestruturação, já foram demitidos 40 funcionários, mas a previsão é que esse número chegue a 200.

“Estamos na rua para denunciar esse banco que vai para a TV com lindas propagandas, dizendo que se preocupa com o futuro, mas que na verdade só está preocupado com o seu próprio futuro. Na prática, o Itaú cobra tarifas e juros altos à sociedade e ainda sentencia dezenas de trabalhadores ao desemprego”, destacou o diretor do Sindicato e funcionário do Itaú, Alex Citó.

O presidente do Sindicato, Carlos Eduardo, destacou que essa onda de demissões e reestruturações acontece justamente durante a campanha salarial da categoria, no período onde estão ocorrendo as negociações coletivas. “Com essa atitude, a mensagem que o banco está nos passando é de confronto e não vamos admitir tamanho desrespeito ao conjunto dos trabalhadores. Com um lucro de R$ 7 bilhões apenas nos três primeiros meses deste ano, não há motivos para demitir”, alertou.

“Num cenário econômico tão difícil que o nosso país está enfrentando, o Itaú diz em suas publicidades que está sempre aí para você, mas não está nem aí para os seus funcionários, engrossando as fileiras do desemprego em nosso país. Basta de demissões, Itaú”, finalizou a diretora do Sindicato e funcionária do Itáu, Francileuda do Nascimento.

Até que a situação seja resolvida, a Comissão de Empresa dos funcionários do banco (COE Itaú) suspendeu todas as outras negociações com a instituição financeira.

Fonte: SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here