Outros Toques

160

Outros Toques

Boicote ao couro brasileiro

A VF Corporation, gestora de várias grifes internacionais, confirmou em nota que suspenderá o uso do couro brasileiro até que haja uma segurança em relação a origem dos produtos, que os materiais usados não contribuam para o dano ambiental no país. Na mensagem, a empresa também defendeu que seus negócios “visam empoderar movimentos de estilo de vida ativo e sustentável”. No grupo de marcas que suspenderam as compras de couro brasileiro estão Timberland, Dickies, Kipling,Vans, Kodiak,Terra, Walls, Workrite, Eagle Creek, Eastpack, JanSport, The North Face, Napapijri, Bulwark, Altra, Icebreaker, Smartwoll e Horace Small. Documento enviado ao Ministério do Meio Ambiente alerta ainda para os efeitos negativos das queimadas para as exportações do setor.

Em defesa da Soberania

Organizado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e pelos partidos de oposição, o “Ato e Seminário pela Soberania Nacional e Popular”, cujo tema é “O Brasil é nosso! Contra as privatizações em defesa do emprego e de nosso futuro”, acontece dia 4/9, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O objetivo é criar uma Frente Parlamentar e Popular em Defesa da Soberania Nacional. Também estão previstos debates sobre desenvolvimento econômico e soberania nacional, privatizações dos bancos, Correios, Previdência Social, Eletrobras e Petrobras, além de temas como Amazônia, Biodiversidade, Mineração e Água, Ciência Tecnologia e Educação.

Fake News vira crime

O Congresso derrubou dia 28/8 o veto de Bolsonaro a penas mais duras para quem propaga fake news, nas eleições. O veto ocorreu em junho, quando a Lei 13.834/2019, que atualiza o Código Eleitoral, chegou à mesa de Bolsonaro. Com a derrubada do veto, a pena para quem divulgar fake news com objetivo eleitoral é de 2 a 8 anos. A pena só será aplicada quando estiver comprovado que o acusado sabia da inocência do alvo da notícia falsa propagada. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, anunciou ainda a instalação da CPI para investigar a propagação de notícias falsas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here