Sindicato condena fechamento de agências do Bradesco

31

Recentemente, o Bradesco anunciou que pretende fechar 400 agências até o final de 2020. O Ceará, certamente, não ficará de fora. Tudo faz parte de uma estratégia de reestruturação de negócios da empresa que, mesmo com a pandemia do novo coronavírus, continua em plena execução.

O Sindicato dos Bancários do Ceará condena essa postura do Bradesco e reforça, caso aconteça fechamento de unidades em nossa base sindical, que vai cobrar a realocação dos trabalhadores em outras agências, como se comprometeu o banco, em reunião com a Comissão de Empresa dos funcionários, no final do ano passado.

A reestruturação do modelo do Bradesco também tem relação com a transformação das agências em unidades de negócio, o que tem gerado apreensão entre os trabalhadores. As unidades, que não trabalham com numerário, não tem vigilante ou porta de segurança. O Sindicato vem requerendo que, como medida paliativa, os vigilantes fossem mantidos, mas os representantes do Bradesco afirmaram que o banco dispõe de estudos sobre a segurança destas unidades e que as câmeras de vigilância serão mantidas. Um exemplo, segundo o Bradesco, seriam os Postos de Atendimento (PA), que também não operam com dinheiro e têm estrutura de segurança semelhante as das unidades de negócios.

“Esperarmos que o Bradesco mantenha o compromisso de não demitir, e sim realocar, os bancários.  Estamos acompanhando o processo com atenção e exigimos que seja assegurado todos os direitos dos trabalhadores”.
Telmo Nunes, funcionário do Bradesco e diretor do SEEB/CE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here