Sindicato debate reforma trabalhista em Encontro de Delegados Sindicais

25



Com a missão de serem multiplicadores para a categoria bancária, os delegados sindicais estiveram reunidos para debater a reforma trabalhista e seus efeitos, bem como Campanha Nacional 2017, no Encontro dos Delegados Sindicais que aconteceu no sábado, dia 23/9, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará. Participaram representantes da Capital e do Interior cearense.


Os diretores do Sindicato Marcos Saraiva, José Eduardo Marinho, Gabriel Rochinha e Cláudio Rocha destacaram a importância do delegado sindical para o movimento bancário, bem como seu papel de levar aos colegas as transformações a serem impostas pela reforma trabalhista. E garantiram juntar-se aos companheiros com muita luta e resistência contra os efeitos nefastos que ameaçam os direitos dos trabalhadores.

A advogada do Sindicato, Dra. Ana Virginia Porto fez uma palestra sobre reforma trabalhista e como atinge a categoria bancária, com muitos prejuízos.  Segundo ela, ao analisar percebe-se que o sistema financeiro esteve por traz o tempo todo da reforma, porque uma série de alterações atingem os bancários. Por exemplo, a incorporação da gratificação, uma conquista consolidada, caiu, e toda a jurisprudência consolidada que beneficiava os bancários, foi totalmente desarticulada.


Foram criados institutos direcionados para a categoria, como o trabalho intermitente; o tempo parcial foi ampliado, que pode vir a trazer redução salarial; o tele trabalho,  que ao ser implementado na categoria será muito prejudicial.


“O conjunto de toda a reforma trabalhista, para todos os trabalhadores, é muito prejudicial. A sua lógica é flexibilizar”, disse Dra. Virginia. Explica que, os acordos individuais vão se sobrepor à legislação e a organização coletiva foi desarticulada.  O desmonte sindical como um todo não atinge somente os bancários, mas atinge todas as categorias. Essa reforma mexe diretamente com a organização sindical, a forma de representação, inclusive, não só coletiva, mas individual.


A advogada disse ainda que, se a reforma trouxe muita coisa ruim, nosso movimento sindical dos bancários é politicamente muito maduro e tem total condições de enfrentar esse desafio. É uma categoria que, apesar de toda a crise e da redução nos quadros, é uma categoria que tem muito poder de fogo contra o sistema financeiro. Juridicamente, a comunidade toda está se articulando e já existe um Coletivo Jurídico pensando teses para se defender dos ataques da reforma.


“Vai ser uma luta porque houve muitas baixas, por conta do ataque à Justiça do Trabalho e ataque à jurisprudência consolidada do TST. Mas nossa esperança está nas eleições de 2018, quando iremos retomar e voltar ao Governo e desarticular essa reforma nefasta à classe trabalhadora”, finalizou.


Qual o papel e a importância do Delegado Sindical?

Valdeci Oliveira (BB de Tauá)

É sempre estar antenado às diretrizes da nossa categoria e do Sindicato. Proteger os direitos dos bancários, representando-os com dignidade e honra. Atualizar os colegas com as informações do Sindicato e levar suas reivindicações ao Sindicato visando uma solução para seus problemas.


Gilberto Gomes (Caixa Ag.Praça do Ferreira)

É o elo entre o Sindicato e os empregados nos seus locais de trabalho. Onde ele estiver tem que ser a válvula de escape dos colegas. No local de trabalho, o delegado sindical está lá para receber as demandas, levar ao Sindicato e dá sugestões para que haja justiça.


Nísia Silva (BB Ag. Montese)

É de extrema importância porque é o representante da categoria dentro do posto de trabalho. Uma agência que tem um delegado sindical, qualquer coisa de anormal que possa afligir o trabalhador, ele tem o delegado para recorrer. Todos locais deveriam ter um delegado sindical, para ser representado.


Telmo Loureiro (Bradesco Ag. Centro)

É importante atualizar as informações do Sindicato para os colegas, estar no dia a dia da agência e intervir quando houver problemas. Sou um elo entre o Bradesco e o Sindicato, levando as reivindicações dos colegas e buscando soluções para suas questões.


Djacir Borges (BNB de Campos Sales)

É importante atuar entre os funcionários e o Sindicato, colhendo informações e reivindicações, fazendo uma via de mão dupla, para que as reivindicações dos colegas sejam atendidas. Fazemos a ligação dos dois lados, sendo a voz e o representante daquele local de trabalho.

 


Source: Noticia58