Sindicato e Fetrafi organizam movimentações em defesa e fortalecimento do BNB

12



O Sindicato dos Bancários do Ceará e a Federação dos Trabalhadores no Ramo Financeiro do Nordeste, através de seus representantes legais, estiveram reunidos na manhã da última sexta feira, 8/2, no gabinete do vereador Evaldo Lima, do PCdoB, para organizar movimentações em defesa do papel do Banco do Nordeste do Brasil, sempre ameaçado por governos neoliberais e de direita.


O presidente do Sindicato e da Federação, Carlos Eduardo Bezerra Marques, presente ao encontro, destacou que o objetivo é iniciar os movimentos pela base da estrutura parlamentar até culminar com uma grande manifestação no Congresso Nacional. “Paralelamente, essas articulações com os diversos níveis do Parlamento servirão como indutores ao engajamento dos segmentos dos trabalhadores, empresários e sociedade, todos diretamente afetados com o enfraquecimento do BNB”, afirmou Carlos Eduardo.


O vereador Evaldo Lima colocou o seu gabinete à disposição da luta e propôs articular junto com outros vereadores audiência pública para discutir o assunto com a urgência e profundidade que o caso requer.

“O BNB não tem, no momento, nem especulação sobre o nome do futuro presidente. Isto, associado a declarações recentes de representantes do atual governo colocando o BNB no limbo, é mais que suficiente para arregaçar as mangas e partir para a luta”, afirma Gabriel Rochinha, diretor do Sindicato que também participou da reunião, juntamente com o diretor Túlio Menezes.


“Como funcionária do BNB e diretora do Sindicato não poderia estar ausente a uma reunião tão importante quanto esta, inclusive com a missão de preencher a lacuna da não presença dos outros diretores do Sindicato que também são funcionários do Banco, mas que não puderam estar presentes porque estão designados para outras missões. Minha mensagem é de alerta, principalmente, para aqueles colegas que acham ser melhor deixar o BNB esquecido, se fingir de morto, pois assim escaparemos. É o que ouço alguns dizerem nos corredores, principalmente no Passaré.  Acho que não é por aí. Penso que o atual governo não está esquecendo o BNB. Deve acha-lo pequeno e sem capacidade de reação, que pode extingui-lo com uma canetada.  Ledo engano. Somos fortes e o mais importante do Brasil para a Região. E, nós funcionários, temos que ser os primeiros a acreditar nisso”, disse Carmen Araújo, diretora do Sindicato e funcionária do BNB.