Vamos aumentar a pressão contra reforma de Temer

15



A pressão para o Congresso Nacional engavetar de uma vez por todas a proposta do ilegítimo e golpista Michel Temer (MDB-SP) de acabar com a aposentadoria de milhões de brasileiros tem de ser intensificada.


Para a CUT, há três formas concretas de pressão nesse momento: ampliar a mobilização neste dia 19 de fevereiro, com greves, paralisações e atos; intensificar as ações nas redes sociais e bases eleitorais dos deputados, utilizando ferramentas de ação sindical e popular, como o site Na Pressão, criado pela secretaria de Comunicação da CUT; e garantir a candidatura de Lula nas eleições deste ano.


“A pressão precisa ser ampliada neste momento, pois essa é única maneira de garantir que não mexam na aposentadoria dos trabalhadores e trabalhadoras”, diz o presidente da CUT, Vagner Freitas.“A nossa luta é para enterrar de vez a reforma. E uma das estratégias é realizar uma forte mobilização no dia 19, com greves e paralisações, além de intensificar as ações nas ruas e nas redes”.


Segundo Vagner, “a luta para garantir o direito legítimo de Lula ser candidato nas eleições deste ano também faz parte da estratégia dos movimentos sindical e sociais, pois essa é a garantia que os trabalhadores e as trabalhadoras têm de ter os seus direitos usurpados por Temer de volta”.


Vagner lembra que Lula foi o único a anunciar que, se eleito, vai propor um referendo revogatório de “muitas das medidas aprovadas” pelo governo de Temer, como a reforma Trabalhista, que acabou com a CLT, o congelamento dos investimentos públicos por 20 anos, o pacote de privatizações e a garantia de que os trabalhadores terão o seu direito de aposentadoria assegurado.


“Estou falando da palavra referendo revogatório porque se nós não tivermos autorização da sociedade, fica muito difícil mudar”, disse Lula, em entrevista coletiva aos meios alternativos e populares.


Para o presidente da CUT, quanto mais cresce as intenções de voto em Lula nas pesquisas e ele acena que, se eleito, revogará, com o apoio do povo brasileiro, as medidas que retiram direitos, mais ele é perseguido pela mídia e setores do Judiciário. “Por isso, garantir Lula candidato e apoiar a sua eleição será fundamental. Faz parte da nossa estratégia de resistência e defesa dos direitos”, disse Vagner.


Pressão nas ruas e nas redes


O secretário de Comunicação da CUT, Roni Barbosa, reforça a necessidade de ampliar a pressão aos parlamentares e intensificar o diálogo com as bases, pois, segundo ele, foi o que conseguiu barrar a votação da reforma da Previdência até agora.


“O governo ainda não tem os votos necessários para aprovar a reforma, essa é a grande verdade. Ganhamos a opinião pública e conseguimos furar o bloqueio midiático, esclarecendo à sociedade que a reforma se trata, na verdade, do fim do direito à aposentadoria”, avalia Roni.


Ele explica que, para ajudar na mobilização e pressão, a secretaria de Comunicação da CUT elaborou uma série de materiais com fotos e informações de cada parlamentar que poderão ser impressos e utilizados tanto nos atos quanto nas redes sociais, como Facebook, Twitter, Instagram e Whatsapp.


Foram produzidos 366 memes – 195 de deputados que estão indecisos e 171 dos que estão com Temer pelo fim da aposentadoria. Ao acessar o link, duas pastas estarão disponíveis, com a lista dos deputados favoráveis à reforma e dos indecisos, separados por estado.


“É necessário usarmos todas as ferramentas criadas pela Central para pressionar os parlamentares, além de se informar sobre a reforma da Previdência nos meios de comunicação cutistas, como o Portal da CUT e as páginas oficias da Central nas redes”, orienta Roni.


O site Na Pressão, lançado em junho de 2017 e que permite contatar os parlamentares por e-mail, mensagens, telefone ou redes sociais, é uma das ferramentas criada pela CUT para auxiliar na pressão aos deputados. O site possibilita enviar, de uma só vez, e-mail para todos os parlamentares indecisos ou a favor da reforma do ilegítimo Temer. “É só acessar e fazer a pressão de onde estiver”, conclui Roni.


ATOS NESTE DIA 19 DE FEVEREIRO


Confira todas as ações marcadas para esta segunda-feira (19)


BAHIA

Em Salvador, terá manifestação no Iguatemi, a partir das 7h. No período da tarde, a concentração começa às 15h para o ato no Campo da Pólvora.


CEARÁ

Em Fortaleza, haverá atos e paralisações em todas as regiões, sendo a maior delas marcada no centro, a partir das 9h. Haverá uma caminhada pelas ruas do centro com concentração na Praça da Bandeira.


Cariri: 8h – concentração na passarela da avenida Padre Cícero (na CE 292, entre Juazeiro do Norte e Crato)


Crateús: 7h – Praça da Matriz


Iguatu: 8h – concentração na Praça da Caixa Econômica


Itapipoca: 8h – em frente ao prédio do INSS


Sobral: 7h30 – Praça de Cuba


Vale do Jaguaribe: 5h – concentração no Triângulo de Peixe Gordo em Tabuleiro do Norte


DISTRITO FEDERAL

Em Brasília, além das ações durante o dia, tem ato às 17h, no Museu da República.


MATO GROSSO

Em Cuiabá, às 8h, tem ato no INSS da Avenida Getúlio Vargas.


PARÁ

Em Belém, às 7h, ação nas agências bancárias da Avenida Presidente Vargas; às 11h, ato no Mercado São Brás.

Em Marabá, às 7h30, panfletagem em frente a agencia do INSS; às 9h, audiência pública na Câmara Municipal.


PARANÁ

Em Curitiba, às 8h, panfletagem no Terminal Guadalupe – esquina das Ruas Marechal Deodoro e João Negrão; 9h, panfletagem em frente a agência do INSS; 10h, concentração na Boca Maldita; 11h, aula pública na Boca Maldita; 14h, panfletagem na ALEP.


PERNAMBUCO

Em Recife, às 15h, tem ato público no Parque 13 de Maio.


PIAUÍ

Em Teresina, tem ato marcado para às 8h, na Praça Rio Branco.

No período da tarde, a partir das 14h, terá ato no Aeoroporto de Teresina.


RIO DE JANEIRO

No Rio de Janeiro, tem ação no aeroporto Santos Dumont de manhã, no embarque dos deputados; e, às 16h, tem ato na Candelária.


Em Campo dos Goytacazes, terá concentração a partir das 8h, no Sindicato dos Bancários. De lá, os manifestantes sairão em caminhada até o calçadão para o ato público.


RIO GRANDE DO NORTE

Em Natal, tem ato a partir das 14h, em frente a Agência do INSS, Rua Apodi, 2150 – Tirol.


RIO GRANDE DO SUL

Em Porto Alegre, às 5h, marcha do Laçador até o aeroporto; às 7h, concentração na rodoviária; às 9h, ato em frente a agencia do INSS; às 17h, ato na esquina Democrática.


SANTA CATARINA

Em Florianópolis, o transporte coletivo ficará paralisado durante todo o dia 19. A partir das 9h, a CUT e demais centrais sindicais e entidades farão um arrastão no centro da capital para fechar o comércio e os bancos. E, a partir das 16h, acontecerá um ato na Praça de Lutas, que terminará com uma passeata até a agência do INSS.


Região oeste

São Miguel do Oeste: 10h30 – ato na praça central contra a reforma e os devedores da Previdência


Chapecó: 9h – concentração na Praça Coronel Bertaso e ato nos bancos Itaú e Bradesco


Xanxerê: 13h30 – ato em frente ao banco Bradesco


Região Sul

Criciúma: 8h – ato em frente à agência do INSS


Região Meio Oeste

Caçador: 9h – ato no Largo Caçanjure


Lages: 14h – ato em frente ao prédio da Previdência Social


Região Vale

Blumenau: 15h – ato em frente à Prefeitura


Rio do Sul: 7h – ato em frente à agência do INSS


Região Norte

Joinville: 13h30 – concentração na empresa Tupy

16h – ato na Praça da Bandeira


Jaraguá do Sul: 13h – ato em frente à empresa WEG


Canoinhas: 9h – ato na Praça do Chimarrão


SÃO PAULO

Em São Paulo, às 16h, tem ato público em frente ao MASP, na Avenida Paulista.


Capital

Os municipais, filiados ao Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep), farão ato e assembleia, às 13h, na Rua da Quitanda, 162, no centro da cidade de São Paulo. Trabalhadores ligados ao Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem) farão ato em frente à Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, 15, no centro da capital, às 14h.


Químicos e bancários também preparam mobilizações na cidade de São Paulo. Metroviários mobilizam suas bases e farão panfletagem em estações do Metrô localizadas nas zonas sul, centro, leste e oeste. São elas: Jabaquara, Itaquera, Brás, Barra Funda, Luz, Tamanduateí e Capão Redondo. À tarde, todas as categorias seguem para o ato na Avenida Paulista.


ABC

Os metalúrgicos do ABC farão greve com o objetivo de atingir a base formada por 70 mil trabalhadores. Na região, químicos e trabalhadores de confecções cruzarão os braços. Em Mauá, trabalhadores da saúde farão protestos em frente ao Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini. Outras mobilizações estão sendo preparadas até o dia 19.


Baixada Santista

A CUT, sindicatos e movimentos ligados à Frente Brasil Popular da Baixada Santista organizam às 7h uma panfletagem na Alfândega de Santos, na Praça da República, s/nº, no centro histórico de Santos. Às 12h haverá panfletagem e diálogo com a população na Praça Rio Branco, s/nº, no centro da cidade de São Vicente.  Às 18h, as entidades farão ato contra a retirada de direitos, na Praça da Independência, s/nº, no bairro Gonzaga, em Santos.


Bauru

Movimentos e sindicatos farão ato em frente ao INSS, localizado na R. Azarias Leite, 10-75, no centro da cidade.


Campinas

Os trabalhadores do transporte irão paralisar na região, os urbanos e os fretados. Petroleiros, trabalhadores do setor de energia, da construção civil também irão cruzar os braços. Servidores ligados ao sistema judiciário também irão aderir aos protestos. No final da tarde, no Largo do Rosário, os movimentos farão ato, às 17h.


Guarulhos e Arujá

A greve irá atingir o transporte da cidade, puxada pelos condutores e cobradores. Os bancários confirmam paralisação nas principais agências, assim como os trabalhadores da construção civil cruzam os braços em alguns canteiros de obras. Aeroviários e aeroportuários sinalizam participação neste dia de luta.


Jundiaí

Protestos no calçadão, no centro da cidade de Jundiaí, às 9h, com participação de sindicatos e movimentos. No local haverá panfletagem de materiais e diálogo com a população.


Matão

Os metalúrgicos terão assembleias com atraso, a partir das 6h30, nas empresas da região. 


Mogi das Cruzes e região

Panfletagem na estação de trem de Suzano. Em seguida concentração na Praça dos Expedicionários, a partir das 9h30, onde ocorrerá ato contra a reforma da Previdência.


Presidente Prudente

Os trabalhadores e estudantes se concentram a partir das 15h em frente ao INSS, na Rua Siqueira Campos, 1315, para ato em defesa da aposentadoria.


Ribeirão Preto

Na cidade, estão programadas assembleias dos trabalhadores pela manhã e panfletagem no calçadão, no centro. Às 17h, está previsto um ato no Campus do Hospital das Clínicas, na Avenida Bandeirantes, 3.900, na Vila Monte Alegre.


São Carlos

O Sindicato dos Metalúrgicos fará assembleia nas empresas da região. Às 9h, os movimentos que compõem a Frente Brasil Popular da cidade se concentrarão na Praça Itália para, em seguida, saírem em marcha até a estação ferroviária da cidade. Os trabalhadores de Araraquara se somam neste ato.


São José do Rio Preto e Catanduva

Bancários param as principais agências das cidades. Também haverá panfletagem no Terminal Rodoviário de São José do Rio Preto, na Rua Pedro Amaral, no centro.


Sorocaba

Os trabalhadores em empresas de transportes urbano, intermunicipal, rodoviário, de fretamento e de cargas irão cruzar os braços por 24 horas. A greve irá atingir os 42 municípios da região, de Araçariguama até Itararé, passando pelos municípios das regiões de Sorocaba, São Roque, Itapetininga e Itapeva. Os metalúrgicos e químicos também sinalizam paralisação nas fábricas.


Vale do Ribeira

Na cidade de Registro haverá ato público contra a reforma da Previdência, em frente ao INSS do município, na Avenida Wild José de Souza, 362, no bairro Vila Tupy, às 14h.


Source: Noticia57