Após cobrança, Itaú esclarece dúvidas sobre o “GERA”

106

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú se reuniu com a direção do banco, dia 18/5, para voltar a debater a implantação do programa de remuneração variável “GERA”. No dia 7 de maio, a Contraf-CUT enviou um ofício com uma série de questionamentos sobre o programa.

“Nosso objetivo é sanar todas as dúvidas e transformar esse programa o mais justo possível para os trabalhadores”, afirmou Jair Alves, coordenador da COE Itaú. “Vamos analisar todas as informações passadas e novos questionamentos devem surgir. O importante é deixarmos o canal aberto para enviá-los e marcarmos uma nova data para tratar exclusivamente do assunto”, completou.

Projeto Itaú 2030 – Outro tema abordado no encontro foi o Projeto Itaú 2030. A direção do banco apresentou mudanças que foram feitas no projeto que está sendo implementado aos poucos em algumas agências. Ele prevê mudanças na estrutura de cargos, com a unificação das diretorias Comercial e Operacional. O projeto foi apresentado em dezembro pelo banco, pela primeira vez, e começou a ser implantado em janeiro, segundo o Itaú, a princípio em apenas 20 unidades. O banco anunciou na reunião que pretende expandir o projeto para 9 estados, na base da Fetrafi/NE, no Espírito Santo e em São Paulo, já com as alterações informadas na reunião. A Comissão cobrou ainda o número de envolvidos e data do início da nova fase do projeto.

Emprego – O movimento sindical cobrou o motivo de tantas demissões nos últimos meses. O banco dez uma apresentação de que contratou mais do que demitiu, nos últimos dois anos. Entretanto, os representantes dos trabalhadores lembraram que as demissões são feitas nas agências e nos departamentos e as contratações nas áreas de tecnologia do banco. A COE reivindicou a volta imediata da central de realocação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here