ARTIGO: Apenas 15,8% das categorias de trabalhadores tiveram reajustes acima da inflação. Bancários estão entre elas

55

Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará

Em 2021, 47,7% das negociações salariais do setor privado ficaram abaixo da inflação, apenas 15,8% ficaram acima, 36,6% empataram, de acordo com levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fechou 2021 com alta de 10,16%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Também de acordo com o Instituto, esse é o pior resultado registrado em quatro anos, desde que o Dieese começou, em 2018, a avaliar as negociações inseridas na base de dados do Mediador do Ministério do Trabalho; e também o mais fraco desde 2003, se for considerada uma série mais longa, iniciada em 1996, e que leva em conta uma amostra de apenas 800 categorias.

Entre 1996 e 2002, 40% das negociações perdia para inflação. Em 2003, com a inflação em alta, 58% das negociações ficaram abaixo do INPC. De 2004 em diante, a parcela de negociações com reajustes acima da inflação predominou. Em 2015, o quadro piorou. Desde 2018, com o enfraquecimento da atividade agravado pela pandemia e a alta do desemprego, a situação complicou para o trabalhador.

Com relação à categoria bancária, conquistamos um reajuste de 10,97% de aumento, um índice negociado acertadamente na Campanha Nacional da categoria em 2020. O acordo previa aumento real de 0,5% (INPC + 0,5%). Considerando apenas os salários, a campanha dos bancários injetou cerca de R$ 6,440 bilhões na economia brasileira este ano. Se levarmos em conta os reajustes, benefícios e a PLR, esse número sobe para R$ 15,920 bilhões. Num momento de crise e desemprego, isso é importante para ajudar a movimentar a economia.

Para isso, foi importante termos feito em 2020 um acordo de dois anos. Foi isso que nos garantiu o aumento real em 2021, quando a grande maioria dos trabalhadores não conseguiu negociar reajustes acima da inflação e está amargando perdas salariais. Imagina o quanto seria injetado na economia se todas as categorias obtivessem aumento real! Por isso, lutamos por reajustes para toda a classe trabalhadora. Todos os trabalhadores precisam que os reajustes reponham a inflação e lhes garanta ganhos reais.

Este ano teremos um novo desafio, pois realizaremos nossa Campanha Salarial no segundo semestre. Com nossa Convenção Nacional podemos garantir a todos os bancários, em todo o país, um reajuste unificado, direitos unificados, conquistas unificadas. Nossa mobilização e organização serão fundamentais nesse processo, para mostrarmos nossa força e garantirmos nossos direitos e conquistas.

Nossa unidade será a nossa força! Desde já estamos mobilizados para tentar conquistar mais uma campanha vitoriosa.

#VidaÉLuta! #EstamosNessaLutaComVocê

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here