Centrais Sindicais e movimentos lançam campanha fora Bolsonaro

22

Não é possível mudar o rumo do país e retomar uma agenda democrática, com desenvolvimento, emprego, saúde, educação, Estado forte e justiça social com o presidente Jair Bolsonaro no poder, inerte e sem comando, enquanto a pandemia do novo coronavírus acelera e a economia que já estava ruim, entra numa das piores recessões da história. É esse o cenário que levou as centrais sindicais, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e partidos de oposição a se unir para lutar pela saída de Bolsonaro.

Juntas, essas entidades vão lançar, na próxima sexta-feira (10/7), a Campanha “Fora, Bolsonaro”, realizando um Dia Nacional de Mobilização que tem como objetivo debater com a sociedade as crises econômica e sanitária, a falta de atuação do governo Bolsonaro e o fato concreto de que uma mudança só será possível com outro governo, eficiente, que enxergue o povo trabalhador e tenha um projeto de país, uma política econômica de desenvolvimento sustentável.

O Dia Nacional de Mobilização “Fora, Bolsonaro”, primeiro ato da campanha, terá ações nas redes sociais, ações de rua simbólicas e um panelaço para denunciar e dialogar com a população que é preciso acabar com este governo, antes que ele acabe com mais vidas, direitos e até com a democracia do Brasil.

Assembleias nos locais de trabalho, campanha de agitação, adesivaços, faixas nos viadutos, uso de carro de som nas comunidades, tuitaço e panelaço também estão sendo organizados para a campanha “Fora, Bolsonaro”. Um site exclusivo da campanha para centralizar todo o material estará no ar daqui alguns dias. A ideia é ir fortalecendo o diálogo para mostrar a importância de o povo se levantar para seguirmos firmes nesta campanha do “Fora Bolsonaro”.

Próximos passos da luta – Logo depois do Dia Nacional de Mobilização, a Campanha “Fora, Bolsonaro” promoverá uma Plenária Virtual no dia 11 de julho reunindo milhares de participantes de todo o país. Nesta atividade serão definidas as próximas ações da campanha.

A CUT, movimentos sociais, frentes e organizações da sociedade civil, juristas, intelectuais e personalidades da política, do meio acadêmico e das artes estão fazendo um chamado à adesão para um pedido popular de impeachment do governo de Bolsonaro. O objetivo é que este pedido seja entregue ao Congresso Nacional na semana de 13 a 17 de julho. A formalização da adesão ao pedido deverá ser feita através do preenchimento do formulário eletrônico (https://bit.ly/2NPD6uJ) até dia 10 de julho e quaisquer dúvidas formais ou jurídicas poderão ser esclarecidas pelo e-mail impedimentobolsonaro@gmail.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here