Artigo – #NAVACINACOMVOCÊ: os bancários precisam ser vacinados!

31

Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará

Na última quinta-feira, dia 27 de maio, bancários de todo o Brasil promoveram um Dia Nacional de Luta pela inclusão da categoria como essencial no Plano Nacional de Imunização (PNI) e por vacina para todos.

Durante toda a pandemia, os bancários não pararam de atender a população, trabalhando inclusive aos sábados, permanecendo sempre na linha de frente do atendimento, responsáveis pelo pagamento do auxílio emergencial e de outros benefícios fundamentais durante esse período. Além disso, por serem ambientes fechados, com ar condicionado e pouca renovação de ar no interior do ambiente, as agências bancárias são lugares propícios à contaminação pela Covid-19.

De acordo com levantamento do Dieese, com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), entre o 1º trimestre de 2020 e o 1º trimestre de 2021, que compreende o período da pandemia, o número de desligamentos por mortes na categoria bancária teve crescimento de 176,4%.

Esse crescimento provavelmente se deu por conta da Covid-19, apesar de que o Caged não informa a causa do óbito. As mortes de trabalhadores de todas as categorias seguem a mesma tendência e cresceram 71,6% na comparação entre os primeiros trimestres de 2020 e 2021. No entanto, chama a atenção o salto maior verificado na categoria bancária, uma das que estão no atendimento essencial à população durante a pandemia.

O Sindicato, juntamente com a Contraf-CUT e outras entidades representativas, tem realizado diversas atividades na luta pela inclusão da categoria como prioritária na vacinação, enviando ofícios aos executivos municipal, estadual e federal cobrando a vacinação prioritária dos bancários, de agências e departamentos, além de pressionar a Fenaban para que os bancos utilizem da sua influência para solicitar a imunização dos trabalhadores junto ao governo federal. Também temos articulado junto aos parlamentares federais e estaduais.

O movimento sindical bancário atua pela proteção e segurança dos trabalhadores desde o início da pandemia. Fomos uma das primeiras categorias a negociar medidas de proteção aos trabalhadores. Assim, conseguimos que metade dos bancários, em todo o país, fossem colocados em home office ou em regime de rodízio nas agências. Na última mesa de negociação com os bancos, a Fenaban finalmente apresentou proposta de protocolo unificado contra a Covid-19, que será analisado pelo movimento sindical e debatido na próxima mesa.

Não desistimos da luta e da cobrança de vacina para todos já, mas avaliamos que os trabalhadores das atividades essenciais, como os bancários, têm que ser incluídos na prioridade da vacina já que ainda não há vacina pra todos. Estamos nessa luta com você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here